Memória alimentar!

Encontrando milho fresco num supermercado na Dina, bateu a saudade no papagaio Dan e ele decide fazer uma iguaria junina.

Dan entrando na cozinha, pergunta:

Que tanto mingau é esse?

Dan: Mingau, o quê, rapaz, respeita a especialidade da casa. Isso é canjica.

Dino: Jurava que era mingau.

Dan: É gostosura de lamber colher de pau!

Eita, chega rimou, visse? Prova aqui, vem!

Dino: Não, obrigado, estou cheio.

Dan: Quem disse que tem que estar vazio pra provar canjica?

Dino: Mas, ainda tá quente, né? Vamos esperar mais um pouquinho!

Dan: Que nada, vai soprando e comendo.

Dino recebe uma colherada na boca e pensa: pronto! Vamos passar a semana toda comendo esse mingau.

Dan: Uma delícia, né?

Dino pensando consigo mesmo: um adjetivo, rápido, vem, vem, o que vou dizer? Humm é doce, né? Isso é coisa que se diga? Que falta de criatividade! Posso dizer: bem consistente essa massa ou essa massa tem uma textura interessante. Nossa, essa foi horrível. E Dan já tá olhando com expectativa de elogio, preciso pensar rápido, rápido… já sei!

Dino: Essa iguaria junina é uma especialidade do meio do ano, que se faz com milho, como várias outras comidas típicas desta época. Cada comida tem a sua singularidade e todas compartilham da mesma cor: amarela. Isso, essa canjica é bem amarela. Aliás, amarelíssima!

E Dan ficou olhando lá pra cara de Dino, só salvando consigo o filme daquela embromação toda do pinguim e pergunta:

Deixa de arrodeio e diz logo, tu gostaste ou nao da canjica?

Dino: Sabes o que é, é a cor. Não gosto muito de amarelo, me lembra gema de ovo! Só de lembrar o cheiro de ovo, oh! Já fico com ânsia de vômito. Amarelo ovo. Isso! Não posso nem ver.

Dan: Que mentira. Chega amarelou pra falar, diz logo que não gostou e pronto.

Dino: Imagina, é essa cor amarela que não me apetece!

Dan: Besteira, eu boto um pouquinho de canela e ela fica toda apetitosa.

Dino: Não tem jeito, amarelo ovo me lembra mingau, gemada, eca! Tu não vais ficar com raiva, se eu não comer?

Dan: Com raiva por sobrar mais canjica? Jamé! Comer comida de milho é um ritual mágico, me faz voltar a infância.

Dino: Bem que eu disse que era mingau.

Dan: Seu insensível. Não sabe o que é memória alimentar?

Dino: Claro que sei. É quando seu intestino se desarranja, só em pensar na comida que outrora o fez mal.

Dan: Ave gástrica! Não tem paladar que se sustente com esse pinguim. Sai, me deixa comer minha canjica em paz.

Foto: commons.wikimedia.org/wiki/File:Canjica1.jpg

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s