Bebendo da fonte da utopia!

Migrante tem sede de utopia

Busca a água na fonte

Corre deserto, faz travessia

Se duvidar até pula ponte

 

Estando no sonhado Eldorado

Com papel no bolso anda confiante

Na loja, a vendedora apressa o passo

Mas lembra-se ser também uma migrante

 

Sem papel no bolso

Migrante é isca precisa

Há quem diga, sim, fica

Há quem chame a polícia

 

Se tiver sorte consegue uma pia

Recebe um kit migrante

Avental e luva impermeabilizante

E lá vai-se embora sua agonia

 

Nem vê mais passar o dia

A noite já nem é tão fria

Quem nem lhe dá um pio

Tanto lhe deseja que muito lhe espia

 

Nas festividades, trabalhando

Voltando pra casa de manhãnzinha

Sente ser isto um sinal de bonança

Para o ano que se anuncia

 

Migrante, eu lhe desejo

Um ano de alegria

Que seu corpo e alma sempre estejam

Bebendo da fonte da utopia

Texto: Danielli Cavalcanti
Foto: Mathieu Turle
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s