A quem não me conhece

Este foi o primeiro poema que escrevi em Linz, em 2007. Depois de passar por um episódio de discriminação que me fez refletir bastante sobre minha condição e meu posicionamento como migrante negra e mulher!

A quem nao me conhece!

Flor de Linz

Você não me conhece
Mas insiste em fazer julgamentos sobre a minha vida
Você não conhece a minha história

Mas está convicta que pela sua, sabe da minha até melhor que eu
Você não conhece os meus motivos

Mas crê, piamente, que os seus são mais fortes
Você não sabe do que tenho conhecimento
Mas persiste em querer delimitar minha capacidade
Você não me conhece,

Mas quer, pela cor da minha pele, definir minhas áreas de trabalho
Você não me conhece
E o que você pensa sobre mim expõe mais sobre você
Insisto: você, definitivamente, não me conhece
Mas se definindo a mim, você consiga se encontrar
Só posso lhe desejar boa sorte na busca.

#FlordeLinz

Foto: Cristian Newman

View original post

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s