Leitura do livro “Quando eu outono, tu primaveras”, em Viena

No dia 4 de maio, às 18h00, na Vinoteca Tinto Rosso, em Viena, na Áustria, apresentei meu livro de poesias “Quando eu outono, tu primaveras”.

Primeiramente, havíamos marcado a leitura no parque Oberlaa, mas a previsão do tempo não estava para Chapeuzinho. Por precaução, decidimos fazer em um local fechado e essa Vinoteca aconchegante e linda veio a calhar.

Este foi um evento em parceria com a CABRA, Casa Aberta Brasil Áustria, de Cláudia Lima, e o realizador cultural Milton Nogueira. A Leitura foi realizada por Cláudia Lima e por mim. Yta Moreno nos agraciou com seu repertório musical maravilhoso.

Leitura 2018 Wien

Cláudia Lima, eu e Yta Moreno (O detalhe no quadro é obra de Cláudia  ❤ )

O público já nos era familiar, pois muitas das pessoas que estavam presentes nessa leitura, foram também à primeira leitura que fizemos, em Viena, em 2016.

A dinâmica da leitura foi muito descontraída, algumas pessoas leram poemas do livro, Milton leu dois poemas que combinavam com o momento, cantamos, conversamos, nos emocionamos.

Uma amiga de anos que só a tinha pelo facebook, deu-me a alegria de conhecê-la pessoalmente. Finalmente. Outra com quem mantenho contato desde o grupo Mulherio das Letras também me presenteou com sua presença.

Depois do poema “Que saudade de não sentir frio”, uma participante se lembrou de Cesarina Evora. e me sugeriu ouvir a sua música sodade. Assim o fiz. Esses momentos de troca são inolvidáveis.

No final da leitura, eu falei sobre uma mensagem que recebi, em 2017, de uma moça, após eu postar sobre uma leitura em uma comunidade do facebook. Ela me perguntou se o livro (Flor de Linz) era sobre superação, porque ela não gostava de histórias de superação. Respondi parafraseando Fernando Pessoa, pois para mim todas as histórias de migração são de superação, não seriam histórias de migração, se não fossem de superação.

Uma participante, que por sinal canta belíssimamente, acrescentou que todas as histórias de vida são de superação, não seriam histórias de vida, se não fossem de superação.

Nessa altura, meu coração já estava transbordando de emoção.

Pois bem, todas as histórias de vida são de migração (mudança), não seriam histórias de vida, se não fossem de migração.

Danielli Cavalcanti

P.S.: Se você quiser adquirir um exemplar do “Quando eu outono”, do “Flor de Linz” ou do infantil “Sopa de Sapo”, por gentileza, contacte-me: jardimmigrante@hotmail.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s