Sopa de Sapo

Olá Corações literários,

A Sopa de Sapo aborda o bilínguimo (Sapo Sapeka fala sapolês, Borboleta fala borboletês e ambos falam também português), as amizades, a alimentação saudável e o impacto do julgamento nas relações interpessoais (e bichanas, vai)!

As ilustrações sao de Vitória Paes. O trabalho gráfico é de Iêda Alcantara.

A história é dividida em 6 capítulos: o sabor da procura, o sabor da acusação, o sabor da decepção, o sabor da escuta, o sabor da surpresa, o sabor da fome e o sabor das cores.
Há ainda uma receita de sopa de sapo verde e outra de sapo amarelo.

Há também o poema da amiga do Sapeka, a Borboleta, ”Voando pelo mundo”.
Há o texto ”Na dúvida, pergunte!” respondendo, finalmente, se há ou não sapo na sopa de sapo.

E por fim e não menos importante, há o poema ”Português, tu és minha língua porto”.

O Diário de Aurora fez um vídeo resenha lindíssimo sobre a Sopa. Aqui você poderá tomar um pouquinho dessa sopinha. Muito Obrigada, Joana Mendes! ❤

Antes de ser publicado, o Sopa de Sapo foi resenhado por duas crianças através do Projeto O Periscópio. As resenhas podem ser lidas aqui. 

Depois que foi publicado, a Sopa de Sapo recebeu outra resenha linda de uma criança dO Periscópio.
Muito obrigada, Cláudia Marczak

Aqui, você pode ler um pouquinho sobre como surgiu a ideia de escrevê-lo.

 

Publiquei também o Sopa de Sapo em versão leiturinha, motivada pela curiosidade da minha filha em ler, pois ela estava em processo de alfabetização. A versão leiturinha tem frases mais curtas, letras maiores e pouco texto. Aqui há mais sobre essa versão.

Sinopse:
Froschi, o melhor amigo do sapo Sapeka, desaparece, evapora, escafede-se, toma chá de sumiço! Ninguém tem a menor ideia de onde ele esteja. Durante a procura, Sapeka passa por uma casa, onde estão tomando uma sopa verde. Ele tem uma forte suspeita de que seu amigo tenha virado sopa! Sapeka agora pensa que mundo sapístico corre perigo!
Eis que a aventura apetitosa foi posta à mesa. Será mesmo que seu amigo Froschi foi servido assim de bandeja?

 

 

Para as mamães leitoras, porque o incentivo à leitura vem também do exemplo, né?
Apresento meu livro Flor de Linz, bilíngue em português e alemao, e os  livretos de poesias: “Quando eu outono, tu primaveras” e É sempre outono na migração”.  Os três são sobre o viver sob o manto e entre a cerca da migração.

 

Quem desejar saber mais sobre mim, leia aqui.

Quem desejar adquirir algum dos meus livros, por gentileza, entre em contato comigo por livroflordelinz (@) gmail.com

São publicações autônomas, feitas com a cara, a coragem, o coração e a cooperação de mulheres de vários lugares.
Muito obrigada a todas as pessoas que acreditam e me dão a mão nesse projeto!

 

Danielli Cavalcanti

#SopadeSapo

#FomeDeLetrinhas

#POLH

#PortuguêsComoLínguaDeHerança

Estamos na coluna de Vanessa Ratton, lá ela aborda a literatura infantojuvenil contemporânea e também o Português como Língua de herança. ❤