Migração

Pode ser para algumas degredo,

Para outras fica em segredo

Cada uma tem seu enredo

Ninguém pode apontar dedo

Nem jogar pedra no lajedo

Visto com prazo de validade é um aperreio

Estar sem documento não é brinquedo

De tanto se comer azedo

Pode-se até virar rochedo

Eu agora até um pouco me excedo

É que já passei por cada aperto

Correndo sozinha por este bosquedo

Que já não tenho mais medo

E da vida não peço arrego

Às sinceras relações tenho muito apego

No coração só quero sossego

E um dia eu volto pro meu aconchego!

Danielli Cavalcanti

#FlordeLinz

Foto: Matthew Smith

Para ler este poema em alemão, clique aqui!

One comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s