Geografia da migração

De onde saí, fui verbo

Onde estou, interjeição!

 

De onde saí, fiz estreias

Onde estou, ensaios

 

De onde saí, sou filha

Onde estou, mãe?

 

De onde saí, tenho identidade

Onde estou, permissão

 

De onde saí, houve demolições

Onde estou, desconstruções

 

De onde saí, chamo carinho de mãe, rosa, margarida, colibri e beija-flor

Onde estou, não sei os nomes

 

De onde saí, sinto o clima temperado

Onde estou, insosso e gelado

 

De onde saí, me esforcei

Onde estou, nunca é suficiente

 

De onde saí, carreguei bagagens

Onde estou, monto estantes ora conflitantes, ora reconfortantes

 

E  cruza-se, constantemente, as fronteiras do que não mais é com o que nunca será.

Ainda bem que a bússola da vida se orienta pela utopia.

 

Danielli Cavalcanti

 

Photo by Lonely Planet on Unsplash

 

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s